Groove 70 é um blog totalmente dedicado ao universo sonoro do FUNK e suas variações. Aqui você encontrará informações, dicas e opiniões sobre R&B, Funk, Black Power, Acid Jazz, Jazz funk, Soul, Eletrofunk, Hip Hop, Jungle, Trilhas Blacks e qualquer outra informação sobre o universo FUNK. Funk it!

Tuesday, October 24, 2006

:. O mestre das teclas pretas Herbie Hancock

Fala Nego!
Aproveitando a vinda do rei do jazzfunk americano Herbie Hancock ao Brasil, resolvi fazer um breve panorama desse consagrado (e já falado no Blog) gênio das teclas pretas.

O nome completo do mestre é Herbert Jeffrey Hancock, nasceu em Chicago, Estados Unidos, em 12 de abril de 1940.

Tudo começou aos sete anos de idade, no entanto, aos 11 já dava início à carreira de menino prodígio negro, tocando em concertos em uma orquestra sinfônica local.

Mas só entrou para valer no time dos grandes jazzistas de sua época aos 21 anos, ao ser convidado para tocar com Donald Byrd em 1961 e, posteriormente, ao assinar com a Blue Note Records o lançamento do seu álbum solo de estréia, "Takin Off" de 62.

Em 1963 foi convidado por Miles Davis para formar o famoso e inesquecível quinteto de jazz com mais três gigantes: Ron Carter, Tony Williams e Wayne Shorter. Durante esse criativo período de sua carreira, Hancock continuou dando andamento aos seus projetos solo, criando novos temas e trilhas para filmes como “Blow Up” e discos como "Maiden Voyage” e "Speak like Child".

Aos poucos foi migrando para o uso do piano elétrico (Fender Rodhes) e sintetizadores, pois apesar de sua formação completa como músico de jazz acústico, nunca teve medo de testar novidades tecnológicas em suas criações, gravando nessa época o álbum de jazz-funk “Fat Albert Rotunda” com sua nova banda, os “HeadHunters”

Em 1973, Hancock realmente conseguiu encontrar a base mais forte do seu trabalho, unindo o jazz funk aos timbres e elementos dos primórdios da música eletrônica no impressionante disco e mais importante da sua carreira, “Head Hunters”.

Posteriormente, para contrapor aos trabalhos anteriores, Hancock volta a tocar um jazz mais acústico com Miles Davis no grupo V.S.O.P. no Festival de Newport de 1976. Foi uma reunião de antigos parceiros e integrantes do quinteto de Miles, com Freddie Hubbard como trompetista.

Em 1978, Hancock fez duos com Chick Corea - eu particularmente acho chato - resultando no dico celebrado pela crítica, Corea Hancock.

Uma curiosidade na sua carreira nesse período (entre 78 e 80) – O inquieto músico fez uma breve, mas não menos interessante, incursão pelo cenário da música no Japão, produzindo dois discos para a cantora Kimiko Kasai : "Butterfly" ( foto abaixo) e "Round & Round", ao mesmo tempo que gravava dois álbuns solo: "Flood" e "Directstep". Todos, porém, só foram lançados no Japão em prensagens limitadas.

Durante os anos 80 e 90, o versátil, inovador, nada quieto e já consagrado pela crítica e público, Herbie Hancock, deu andamento a sua busca pela inovação criativa, alternando a sua influência funk com o jazz acústico moderno e os novos recursos eletrônicos, fazendo diversas trilhas para filmes, como o clássico Round Midnight, de Bertrand Tavernier, se aproximando do pop e das novas mídias com lançamento pela MTV ( 83) do single Rockit, tocando em inúmeros festivais pelo mundo com músicos como, Irmão Marsalis, George Benson, Michael Brecker, entre outros.

O mais recente trabalho de Hancock, “Possibilities”, é um trabalho bem pop e cheio de parcerias com músicos e cantores da nova safra e outros já consagrados, entre eles, John Mayer, Damien Rice, Lisa Hannigan, Sting, Annie Lennox, Joss Stone, Johnny Lang, Paul Simon, Raul Midón, Carlos Santana, Angelique Kidjo, Christina Aguilera and Trey Anastasio.

:. Alguns dos projetos comentados no texto acima:

Tuesday, October 10, 2006

:. Average White Band

Fala Nêgo!

Não podia deixar de colocar no blog...Hoje, vou falar do sexteto escocês Average White Band (AWB) que apesar de ter integrantes brancos, se você fechar os olhos e escutar o som achará que a banda veio de NY ou de algum gueto black nos Estados Unidos nos anos 70.

A banda surgiu em Glasgow (Escócia) e conseguiu muito sucesso na américa com Hits num estilo R&B e Jazz Funk. O Lançamento da banda veio por meio da Atlantic Records, selo especializado em música negra do presidente Ahmet Ertegun.

A AWB surgiu nos anos 60 a partir do encontro dos saxofonistas Malcolm Molly Duncan e Roger Ball, o baixista e vocalista Allan Gorrie, o guitarrista e cantor Owen “Onnie” McIntyre e o guitarrista Hamish Stuart, que posteriormente veio a ingressar na banda de Paul McCartney.

A pegada funk da banda tem como base uma batida forte e quebrada da bateria com bases de baixo densos e “swingados”, guitarras extraídas com uma base forte rítmica, fantásticos naipes de metais vigorosos e harmonias vocais dignas de uma igreja gospel.

Para conhecer um pouco da banda recomendo o DVD “Average White Band Live at Montreux – 1977”,

Wednesday, September 20, 2006

:. Tim Maia em 71

Fala nêgo!

Hoje tenho uma novidade quente.
Um vídeo do Tim Maia indicado pelo grande amigo catarina que tem a alma negra até no nome, Dubes SoNEGO, do blog sobre psicodelia intitulado
Os Tesouros http://ostesouros.blogspot.com

Segue abaixo o vídeo disponível no youtube com o Síndico num puta som de quebrar os ossos e ainda manda uma batera insana no final.



Thursday, September 14, 2006

:. A Pegada do The Three Pieces

Fala Nêgo!

A dica de hoje é a banda The Three Pieces, projeto não tão conhecido, mas que está no disco Vibes of Truth de 75. Muito bem produzido, com arranjos de metais e cordas.

O disco tem aquelas típicas baladinhas que tocavam nas rádios brasileiras nos anos 80 e três sons de quebrar as pernas, numa linha entre a sofisticação e a melodia do ídolo Marvie Gaye e a pegada das bandas e funk e soul dos anos 70.

Dica de sons deles pra baixar:
Backed Up Against the Wall
Concrete Jungle














All songs: Allmusic
Backed Up Against the Wall
Concrete Jungle
Cool It
I Need You Girl
If Only I Could Prove to You
Self Dealin'
Shortnin' Bread
Vibes of Truth
Virtue

Wednesday, September 13, 2006

O brother Gerson King Combo

:. Gerson King Combo

Gerson King Combo nasceu em Madureira (subúrbio do Rio) e começou carreira fazendo dublagem no programa Hoje é Dia de Rock, de Jair de Taumaturgo, a convite do irmão (Getúlio Côrtes, compositor de "Negro Gato"), participou do programa Jovem Guarda, de Roberto Carlos. A partir daí Gerson soltou sua alma black na noite carioca, cantando nas bandas de Wilson Simonal e Erlon Chaves e ajudando a fundar a Banda Black Rio.

Posteriormente se lançou em carreira solo com o nome artístico de Gerson King Combo(uma homenagem à banda King Curtis Combo),participando plenamente dos Bailes Black cariocas.

Os dois volumes da série de LPs "Gerson King Combo" fizeram muito sucesso com os hits, "Mandamentos Black", "Jingle Black" e "O Rei Morreu".

Mas só nos anos de 1990 que Gerson King Combo começou a ser reconhecido, pelas suas falas improvisadas sobre a base funk, a sua pegada autêntica no groove, sendo considerado por alguns críticos uns dos precursores do rap nacional.

Abaixo alguns discos relançados no mercado. Vale a pena dar um conferida nessas pérolas do funk nacional.








Tuesday, September 12, 2006

Funk Pop Venezuelano dos Los Amigos Invisibles

Los Amigos Invisibles é uma banda pop venezuelana que conseguiu entrar no mercado latino internacional.

Em alguns momentos lembram a sonoridade do Jota Quest ou mesmo é percepitvel as influências de bandas do acid jazz como Jamiroquai, mas com alguns toques e sonoridadas de salsa e rumba.

No site deles é possivel escutar as músicas da banda.
http://beta.amigosinvisibles.com/

Monday, September 11, 2006

Tony 70

Funk Espanico
Vejam o clipe do cara.
http://www.youtube.com/watch?v=IPOZ7BesW1Y

:. Banda Black Rio

Uma dica bacana pra quem gosta de groove com tempêro bem brasileiro é conhecer a discografia da Banda Black Rio.

Grupo carioca formado em 1976 com repertório baseado na música funk misturada com samba e jazz, com forte acento dançante. Gravou três discos ("Maria Fumaça", "Saci Pererê" e "Gafieira Universal") que fizeram sucesso nas pistas de dança. Além de composições próprias, a Banda Black Rio gravou suas versões para músicas como "Na Baixa do Sapateiro" (Ary Barroso), "Casa Forte" (Edu Lobo).

Comparada a outros conjuntos de soul-funk estrangeiros como Kool And The Gang e Earth, Wind And Fire, a Black Rio desenvolveu a soul music instrumental brasileira e acabou virando objeto de culto nas pistas de dança da Inglaterra no fim dos anos 90.

Em 1999, a banda retomou as atividades com nova formação, liderada por William Magalhães, filho do falecido membro-fundador Oberdan Magalhães.